News

Por dentro da Açotubo: conheça a nossa Unidade de Negócio de Aço Carbono

Blog 29.04.2022

Um conjunto de operações tem contribuído para o crescimento do Grupo Açotubo ao longo dos 48 anos de atuação. Como forma de apresentar o trabalho de cada área e reconhecer a sua importância, a empresa inicia neste mês a série “Por dentro da Açotubo”, que trará uma sequência de entrevistas com os gestores de cada unidade para contar sobre o trabalho desenvolvido e o engajamento dos profissionais na excelência dos serviços.

Nesta primeira entrevista, com tema unidade de negócio de Aço Carbono, conversamos com Everton Noel de Jesus, Supervisor Industrial, e Luiz Felipe de Souza Silva, Supervisor de Planejamento de Controle de Produção (PCP). Os profissionais explicaram o funcionamento da área. Confira o bate-papo:

  1. Como funciona o setor produtivo da Açotubo?

Everton: A unidade de aço carbono é responsável por todo o trabalho da empresa, envolvendo esse tipo de liga metálica tão importante para diversas áreas como indústria, construção civil, entre outros. Recebemos o material que chega da usina e realizamos o armazenamento, a separação do que será trabalhado conforme a demanda dos clientes, manufaturamos, ou seja, trabalhamos nas barras para a produção e distribuição de tubos de aço e condutores.

Além disso, fazemos a expedição.

Luiz: O trabalho do PCP depende muito do time comercial, que nos repassa os pedidos dos clientes para organizarmos toda a produção de acordo com os prazos recebidos nos informes. Direcionamos as solicitações para a produção e determinamos a data de entrega, considerando o tipo de serviço e se há beneficiamento (necessidade de atuação de um parceiro para algum serviço específico) ou maquinário em manutenção. Trabalhamos sempre com programações antecipadas para não impactar o prazo do cliente.

  • Que tipo de serviço vocês desenvolvem na produção?  Quais têm maior demanda?

Everton: Além dos processos mencionados como recebimento, organização de estoque, separação de material, trabalhamos com os serviços de corte com serra a disco e serra a fita, elaboração de rosca de ranhura e bisel (chanfro feito nas bordas dos tubos).

  • Como é a rotina de funcionamento do setor?

Everton: Trabalhamos em três turnos de segunda a sexta-feira. Os primeiro e segundo turnos são responsáveis pelo recebimento do material da usina, preparação e separação de acordo com os pedidos. O terceiro, fica encarregado do carregamento das frotas de caminhão para a distribuição (entrega) aos clientes.

Luiz: No PCP, acompanhamos o expediente da produção, com 80% dos colaboradores trabalhando em horário administrativo, além de um funcionário acompanhando o segundo turno e outro o terceiro.

  • Quantos colaboradores atuam nesta área?

Everton: Na unidade de aço carbono estão envolvidos 87 colaboradores, divididos em operadores de ponte rolante (que são responsáveis pelo transporte de material), operadores de máquinas e auxiliares de produção. O setor também conta com a liderança fabril composta por quatro líderes e um supervisor.

  • Qual é a quantidade de material que o setor trabalha mensalmente?

Luiz: Temos que ter um controle bastante criterioso do estoque e também da atividade fabril porque movimentamos em torno de 5 a 8 mil toneladas de aço carbono mensalmente para distribuição.

Por conta da enorme quantidade, contamos com inventário rotativo e também de estoque – que possui uma média de 20 toneladas para atender as necessidades dos clientes com objetividade.  

  • Em termos de equipamentos, quais são os principais maquinários e tecnologias presentes no setor?

Everton: Possuímos maquinário completo e moderno para corte com serra a disco e serra a fita, elaboração de rosca de ranhura e bisel com precisão, agilidade e eficiência.

Luiz: No PCP, trabalhamos com o IFS, que é um software de ERP (Enterprise Resource Planning), que faz a gestão dos processos operacionais da empresa, e começamos a usar o Power BI, sistema que tem nos ajudado muito a evitar o descarte de material, contribuindo, desta forma, para o meio-ambiente. E a melhor rentabilidade do Grupo.

  •  Que dicas você daria para os profissionais que já atuam ou para aqueles que estão iniciando a carreira se destacarem no setor?

Everton: Acredito que é focar nos desafios e, principalmente, quem atua nesta área, estudar as tecnologias do setor e fazer os cursos disponibilizados pela Universidade Açotubo (plataforma de capacitação da empresa destinada aos colaboradores)

Luiz: A dica é buscar sempre fazer o melhor, com prudência e se manter atualizado, procurando a capacitação constante. E sempre com a visão de dono.

  • Como você vê a atuação do Grupo em relação ao cuidado com as pessoas e com o desenvolvimento profissional dos colaboradores deste e de outros setores?

Everton: A Açotubo é uma empresa que tem como foco a excelência nos serviços prestados, o atendimento ao cliente com eficiência e também o cuidado com o bem-estar do colaborador, além de oferecer oportunidades de desenvolvimento profissional para todos.

Luiz: O pensamento é sempre satisfazer o cliente e os colaboradores, buscando sempre melhorias com agilidade e assertividade. Não é à toa que a empresa tem um índice de 0,02% de devolução. Diante do tamanho da produção, é praticamente nulo e o objetivo é melhorar ainda mais.

Quer conhecer os outros setores de atuação? Em breve novas entrevistas estarão disponíveis neste espaço. Siga também as redes sociais e veja outras novidades.